CiênciaInformações avançadasNotícias

Atualizaçāo anual da Public Health England

Atualizaçāo anual da Public Health England: E-cigarettes and heated tobacco products: evidence review

A atualizaçāo de 2018 abrange o uso de vaporizadores eletrônicos entre jovens e adultos, atitudes públicas, o impacto sobre a cessação do tabagismo, uma atualização sobre os riscos para a saúde e o papel da nicotina, e também analisa produtos de tabaco aquecidos.

Veja trechos abaixo:

Os principais resultados da revisão de evidências do PHE são:

– vaping apresenta apenas uma diminuta fração dos riscos de fumar tabaco; e mudar completamente do hábito de fumar para o hábito de vaping transmite benefícios substanciais à saúde;

– Os vaporizadores eletrônicos (ou cigarros eletrônicos) poderiam estar contribuindo com pelo menos 20.000 novos êxitos bem-sucedidos por ano e possivelmente muito mais;

– O uso de vaporizadores eletrônicos está associado à melhora nas taxas de sucesso no último ano e a uma queda acelerada nas taxas de fumantes em todo o país;

– Muitos milhares de fumantes acreditam erroneamente que o vaping é tão prejudicial quanto fumar; cerca de 40% dos fumantes nem sequer experimentaram um vaporizador eletrônico;

– Há muita incompreensão pública sobre a nicotina (menos de 10% dos adultos entendem que a maioria dos danos à saúde causados ​​pelo fumo não é causada pela nicotina);

– O uso de vaporizadores eletrônicos no Reino Unido se estabilizou nos últimos anos com pouco menos de 3 milhões de usuários e as evidências não corroboram a preocupação de que os vaporizadores eletrônicos são uma rota para o tabagismo entre os jovens (os índices de tabagismo entre os jovens no Reino Unido continuam a diminuir, o uso regular é raro e está quase inteiramente confinado aos que fumaram);

– A revisão de evidências da PHE ocorre apenas algumas semanas depois de um relatório das Academias Nacionais de Ciências, Engenharia e Medicina dos EUA sobre os vaporizadores eletrônicos. Sua conclusão sobre a segurança dos vaporizadores eletrônicos também descobre que, com base nas evidências disponíveis, “e-cigarros são provavelmente muito menos prejudiciais do que os cigarros combustíveis”.

Leia na íntegra em HTML ou PDF
Veja no site da PHE.